sexta-feira, 21 de junho de 2013

Capítulo 5

No dia seguinte, acordei com uma porta a bater. Levantei-me e fui ver o que era. Quando chego lá a baixo, vejo a Emma toda contente, com um monte de sacos de supermercado á volta dela.
- Bom dia! Dormiste bem? – Perguntou-me, toda contente.
- Bom dia! O que é que é isso tudo?
- Então, é comida. A dispensa está vazia, já te esqueceste?
- Não, mas podias ter-me acordado, que eu ia contigo.
- Eu achei melhor deixar-te a descansar…
- Porquê? Eu estou bem…
- Catelyn, eu vi logo, pela maneira que vieste embora, que não estavas bem. Depois, saiu o Tom disparado, e nunca mais voltou. E quando vim para casa, encontrei-o sentado ali nas escadas…
- Ele contou-te, não foi? – Perguntei, interrompendo-a.
- Sim, Cat, contou.
Baixei a cabeça, de maneira a esconder a lágrima que ameaçava cair, e sentei-me na escada.
- Os rapazes ficaram preocupados contigo… - Murmurou a Emma, sentando-se ao meu lado.
Levantei a cabeça, encarando-a.
- E convidaram-nos para ir almoçar com eles, ao Nando’s. – Disse ela, sorrindo.
Eu sorri também, embora tristemente.
- Agora vamos arrumar as coisas que já são quase horas de almoço.
- Ok. Então eu vou despachar-me e já venho ajudar-te.
- Ok.
E assim foi.
Pouco tempo depois, já estávamos prontas a sair.
Quando abri a porta, tive uma surpresa. O Tom estava sentado nas escadas. Paralisei completamente.
- Vai. – Incentivou a Emma, empurrando-me para a frente. – Vai falar com ele.
Aí, o Tom vira-se para trás.
- Ah! Esqueci-me de uma coisa lá em cima. Volto já! – E fechou a porta.
Ficamos uns segundos a olhar um para o outro. Ele vira as costas. Respiro fundo, fechando os olhos, e vou sentar-me ao seu lado.
Ficamos uns segundos calados, até que…
- Desculpa… - Dissemos, ao mesmo tempo.
- Fala tu primeiro. – Pediu-me.
- Não, fala tu. – Repeti.
- Não, fala tu.
Ri-me.
- Ok, falo eu. – Cedi. – Bem… Ahm! Desculpa ter fugido daquela maneira… - Baixei a cabeça. – Eu tive medo que, depois daquilo, te fosses embora, outra vez. Eu só não quero voltar a sofrer… - Continuei, já com as lágrimas no rosto.
Sinto umas mãos quentes a envolver as minhas.
- Eu não vou a lado nenhum. Eu amo-te! Sempre te amei… - Sussurrou-me ao ouvido.
Eu levantei a cabeça, encarando-o.
- Eu já gostava de ti, quando me beijaste, só que, acabei por te esquecer, pensava eu, com o passar do tempo. Mas, quando apareceste, voltou tudo, mas eu tinha medo de estar a confundir as coisas e aquele beijo alterou tudo, percebes?
- Percebo. Eu também senti o mesmo, só que senti medo de… Pronto, tu sabes… - Baixei de novo a cabeça.
Com dois dedos, ele levanta o meu queixo, fazendo-me olhá-lo nos olhos.
- Agora já não há razões para teres medo. – Murmurou, aproximando-se cada vez mais de mim. – Prometo. – Finalizou, anulando, finalmente, o espaço que nos separava, juntando os nossos lábios num beijo apaixonado e ansioso.
Do nada, ouvimos um guincho, vindo do outro lado da porta. Paramos o beijo, assustados, e viramos a nossa atenção para a porta, quer dizer, para a janela. A Emma estava lá, a dar saltinho de alegria, e nem se apercebeu que estávamos a observá-la, rindo da situação.
- Bom, tenho de ir trabalhar. – Anunciou, levantando-se. – Jantas comigo, esta noite?
- Sim, claro. – Respondo, levantando-me também.
- Então, venho buscar-te às 20h00. – Disse, agarrando a minha mão e puxando-me para ele. – Até logo! – Sussurrou ao meu ouvido, o que me fez arrepiar.
- Até logo! – Disse eu, embevecida, vendo-o afastar-se.
Segundos depois, fui lá para dentro, ter com a Emma.
- Então? Resolveram as coisas? – Pergunta-me a Emma.
- Sim, mais ou menos.
- Como assim?
- Tenho medo… - Murmurei.
- Mas ele provou, ali, que te ama e…
- Eu sei… - Interrompi-a. – Mas tenho medo, o que é que queres? Estou com um mau pressentimento em relação a isto tudo…
- Cat, pára de arranjar obstáculos onde não existem e sê feliz. Há anos que esperavas por isto… - Dizia ela, envolvendo as minha mãos com as dela.
- Sim… Penso que tens razão. – Disse eu, já mais animada. – Ele convidou-me para jantar. – Contei, com os olhos a brilhar.
- Uh! Então hoje temos de ir às compras.
- Sim. – Concordei, com um sorriso. – Sabes, acho que já estamos atrasadas… - Lembrei-me, coçando a cabeça.
- Não te preocupes. Eles à pouco ligaram a dizer que ainda demoravam mais um pouco no estúdio, para irmos almoçando.
- Então o almoço ficou sem efeito? – Perguntei.
- Sim, penso que sim. Por isso, vamos já para o centro comercial e almoçamos no Macdonalds.
- Excelente ideia. Vamos?
-Vamos lá.

(…)


Ora aqui está o tão prometido Capitulo 5 :D Espero que gostem ^^
E... JÁ ESTOU DE FÉRIAS! Eheheheh! Já não era sem tempo... Enfim, isto tudo era para dizer que vou começar a postar capítulos mais frequentemente e vou fazer muitos passatempos e desafios, por isso preparem-se  :D
Beijinhos.
Boas leituras ^^

2 comentários:

  1. Continua rápido, estou a gostar imenso ;)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Oh! *.* Obrigada!
    Vou postar o próximo capitulo muito brevemente, por isso fica atenta ^^
    Beijinhos :)

    ResponderEliminar